Sem pé sem cabeça

Às vezes é preciso destravar as portas.
Abrir as janelas.
Deixar o vento entrar!

Decolar na imaginação...

Comer pipoca na lua...
Escorregar nas pontas das estrelas...
Viajar por outros planetas...
Rindo na calda dos cometas!

Às vezes é preciso ficar só.
Olhando entre a lente da luneta

Transformando papel e caneta
Em um mundo sem pé e sem cabeça.

Um comentário:

Thelma disse...

Após rindo na calda dos cometas eu terminaria, dentro do que sinto no momento com um: "ligando o foda-se pro mundo"

Acho que é isso pra preciso fazer...

Obrigada pela força, Nanda.

Beijos